26 fevereiro 2017

VENCENDO OS DILEMAS DA VIDA




Sempre logo pela manhã alguém me aborda fazendo aquela saudação habitual do bom dia. Uma cousa corriqueira que praticamos quase todos os dias quando encontramos alguém é embutir na saudação que damos no bom dia, no boa tarde ou boa noite aquela perguntinha: como vai? Tudo bem? e não poucas vezes acabamos por ouvir um discorrer negativo das situações ou circunstancias que a quem cumprimentamos está experimentando.

Bem é verdade que as pessoas que vivem debaixo de circunstâncias ou levadas pelas situações do momento, tem uma facilidade para pintar um quadro com tendência muito acentuado ao pessimismo, ao fracasso e derrota.

Hoje eu quero lhe perguntar? Como vai você? Como está a sua vida?

Não me estranharia de ouvir respostas do tipo: estou sofrendo, estou doente, estou com problema na família e para fechar com chave de ouro: estou com problema financeiro.

Quero lhe dizer que hoje, como profeta de Deus e respaldado na Palavra de Deus, tomando a lição deste tão precioso salmo que Davi escreveu, quero lhe alertar que aqui neste salmo encontramos o caminho para lidarmos com os nossos problemas existenciais, problemas externos, internos e pessoais, saúde e também problemas familiares. Davi tem autoridade para escrever este salmo porque ele experimentou vencer todos esses problemas da vida e como a Palavra é extensiva à todos quantos crêem nela, nós também venceremos a partir da obediência aos princípios contidos na Palavra de Deus.

A primeira coisa que devemos fazer é PARAR DE LAMENTAR E E CHORAMINGAR - Sl 39:1-2

É lógico e natural que compreendamos que quem enfrenta problemas e dificuldades, se vê com tendência a lamentar, reclamar, estar descontrolado emocionalmente, mas aí existe um perigo, quanto mais reclamações levará a mente a estar ocupada com a crise e não haverá condições de pensar na solução dos problemas e aí não se vê a luz no final do túnel e fica distante a solução e o próximo passo é mergulhar em profundidade nas dificuldades.

Porque isto? Por que ninguém obtém vitórias sobre problemas reclamando deles, mas trabalhando em cima de soluções concretas, tangíveis, palpáveis.

O sábio ao escrever o livro de Provérbios 24.10 gozando da orientação divina, nos faz um alerta muito sério: quanto mais reclamações, quanto mais murmurarmos e agigantarmos o problema, menos força teremos. Provérbios 24.10 " Se te mostras fraco no dia da angústia, a tua força é pequena".

Mas então como fica, o texto diz que Davi descobriu que ficar calado também diante dos problemas também não se resolve, pois ele declara que se fez em silêncio e a sua dor se agravou .(vs.2).

Nestas horas difíceis precisamos de alguém para nos ajudar reorganizar a nossa reflexão, alinharmos as idéias e então irmos até Aquele que pode resolver todos os nossos problemas: o Senhor Deus, portanto devemos buscá-Lo com toda a força da nossa alma porque Ele nos dá a vitória.

Deixando o lamento e o choramingo de lado precisamos RASGAR NOSSO CORAÇÃO DIANTE DE DEUS – Sl 39:3-5

Veja que o experimentado homem de guerra alega não estar suportando mais tantos problemas e que eles agora faziam o seu coração pegar fogo e por isso Davi se rende ao Senhor, ele se entrega ao Deus Todo Poderoso. E porque ele faz isto? Porque sua mente se elucida, clareia e se apercebeu que foi Deus que o criou e por isto Deus sabe tudo sobre ele, Deus sabe até a duração dos seus dias na terra e sabe a sua fragilidade.

Deus sabe tudo sobre a nossa vida, Deus sabe tudo sobre os nossos problemas e Ele já se pôs em pé agora para nos ajudar. Ele quer me ajudar, Ele quer ajudar a você, Ele que ajudar a todos nós. Mas, às vezes nós tomamos atitudes estranhas com Deus. Nos afastamos dEle, nos distanciamos da sua Palavra, não congregamos, não nos esforçamos para participarmos das celebrações, e isto vai nos induzindo a consciência de que podemos nos arranjarmos sozinhos porque achamos que somos muito fortes, mas não podemos fugir da realidade, somos pó e ao pó voltaremos.

Quero chamar, convidar, conclamar a quem quer vencer os desafios desta vida, as dificuldades diárias e os problemas existenciais a rasgar o coração diante de Deus agora, confessar que Ele é soberano, que reina, que nos conhece, que sabe qual solução tem para nós, e acima de tudo declarar: aqui no meu peito, no meu coração, na minha vida, por mais lutas e angustias que eu possa experimentar, quem mora aqui, dentro do meu coração é Aquele que vive para todo sempre e só Ele é capaz de nos dar uma nova direção para as nossas vidas.

Parado o lamento e o choramingo, rasgado o coração diante de Deus não há nada que fazer a não ser ENTREGAR TOTALMENTE A VIDA AO SENHOR - SL 39:6-8 e 12

Existe um problema que sempre acompanhou o ser humano: a confiança nos seus bens e riquezas. O homem com o seu intelecto escravizado pela tarja do ter para ser, acaba por colocar a sua confiança nos seus bens e riquezas e então imaginam que com isto poderão vencer os seus problemas e dilemas cotidianos.

Colocando a sua confiança nos seus bens e riquezas e imaginando que com isso poderão vencer os problemas da vida, de repente são surpreendidos por determinados problemas que dinheiro não resolve e entram em desespero.

Onde você tem colocado a sua confiança? No seu emprego, na sua situação financeira, na sua família, na sua própria força e sabedoria?

Para vencermos os problemas e desafios da vida precisamos colocar a nossa esperança e confiança em Deus, vivendo em sua presença, crendo que Ele cuida de nós e traz cura para o nosso coração.

Ninguém encontrará vitória para suas lutas, dilemas e problemas distante do Senhor. Quando os filhos de Coré narraram no Salmos 84 acerca da saudade que tinham do templo, isto é, de estarem na presença do Senhor, eles puseram toda a força da sua alma e declararam nos vss. 9 e 10: Olha, ó Deus, escudo nosso , e contempla o rosto do teu ungido. Pois um dia nos teus átrios vale mais que mil; prefiro estar à porta da casa do meu Deus, a permanecer nas tendas da perversidade.

Busque portanto hoje a presença do Senhor, se está afastado volte aos caminhos do Senhor, está ausente da igreja por problemas e dilemas existenciais, faça como os filhos de Coré, procura hoje mesmo estar na sua igreja e adorá-Lo, e com certeza, você obterá a vitória sobre os dilemas da vida. Deus sabe e conhece a dor que te faz sôfrego pelos dilemas, mas o Senhor te basta e Ele te fortalecerá. Esteja perto Dele. Fique na presença Dele.



25 fevereiro 2017

TALVEZ HAJA ESPERANÇA, SE POR A BOCA NO PÓ.






Trabalhando por mais de 23 anos à frente de um centro de recuperação para toxicômanos, ouvi inúmeras vezes os alunos que ali estavam matriculados no programa residencial usar uma expressão interessante extraida de Lamentações 3:29 "Ponha a boca no pó; talvez assim haja esperança". Eles se referiam à coisas que pareciam impossíveis de reconquistar, e usavam a oração, o clamor, o render-se ajoelhado diante de Deus buscando esperança para as suas causas. Não sei como explicar, mas ví muita gente reencontrar a esperança. 

Há um certo tempo recebi uma chamada nocelular, era um pai em desespero pela prisão do filho por porte de drogas, não pouca drogas o que já justifica o angustiante pedido de socorro do pai. Passei a instruí-lo sobre os procedimentos cabíveis no caso e me dispondo a ajudá-lo primeiramente em oração e depois com orientações e apoio para tão triste caso. Houve um momento que me comovi quando aquele pai me perguntou antes de desligar: Pastor será que ainda há esperança para o meu filho? Então passei o durante dias fiquei pensando naquela pergunta, já que existe um sem número de pessoas desesperançadas.

Tem um texto biblico muito interessante que nos serve para reflexão e ver as grandes possibilidades do renascimento da esperança: ”Não aparecendo nem sol nem estrelas por muitos dias, e continuando a abater-se sobre nós grande tempestade, finalmente perdemos toda a esperança de salvamento. Visto que os homens tinham passado muito tempo sem comer, Paulo levantou-se diante deles e disse: Os senhores deviam ter aceitado o meu conselho de não partir de Creta, pois assim teriam evitado este dano e prejuízo. Mas agora recomendo-lhes que tenham coragem, pois nenhum de vocês perderá a vida; apenas o navio será destruído. Pois ontem à noite apareceu-me um anjo do Deus a quem pertenço e a quem adoro, dizendo-me: “Paulo, não tenha medo. É preciso que você compareça perante César; Deus, por sua graça, deu-lhe a vida de todos os que estão navegando com você”. Assim, tenham ânimo, senhores! Creio em Deus que acontecerá do modo como me foi dito.” At 27:20-25

Recentemente descobri que existe mais de 1 bilhão de pessoas que se atiram nas redes sociais da internet buscando freneticamente um pedido de socorro. É um grupo muito grande de pessoas que estão à caça de companhia, ou ainda, querem exprimir a sua necessidade de encontrar alguém que possa compartilhar seus reclamos.

Estes navegadores utilizam a net como se fosse um grande consultório global, onde podem exprimir as suas crises existenciais e confessarem que estão desesperançadas.
 
A maioria não acredita mais em oportunidade de uma mudança de vida porque estão tão traumatizados pelas dores e vicissitudes experimentadas no caminhar da vida. Não há para estas mentes de gente tão esquizofrenizada pelos vícios, e aqui não são só as drogas, o álcool e o cigarro, mas o vício da televisão, da pornografia, e ainda a escravidão da maquinação diuturna de maus pensamentos.

Há muito movimento religioso e também de auto ajuda tentando dar um norte para estas pessoas, mas a maioria sente uma alma esvaziada de coisas boas, com tendências suicidas e acreditam mesmo que nunca experimentarão a vitória em qualquer atividade que se propuserem a fazer.

Isto fala de uma acentuada desesperança que se abate sobre tanta gente. Estes são semelhantes com os envolvidos no naufrágio de Paulo porque perderam a esperança, e o versículo 27, pinta com grandes letras o diagnóstico desesperador de cada um daquele navio: At 27:20: “Dissipou-se toda a esperança de salvamento”. Dissipou, acabou, frustrou, malogrou se toda a esperança.

As estatísticas dizem que há mais de 1 bilhão e meio de pessoas que se utilizam dos serviços de internet em todo mundo, no entanto, mais de 1 milhão de pessoas revelam a sua falta de esperança. É como o diagnóstico hoje do rebanho “cristão” em geral, mais da metade que tem uma vida religiosa, que freqüentam cultos não tem mais esperança. Não crêem mais nos sonhos e hoje não tem nem a coragem de contar para alguém ou assumir a posição de que perdeu sua esperança.

Mas eu tenho boas novas, Jesus pode e fará para aqueles que querem a restauração da esperança, Ele ressuscitará os sonhos.

A SENSAÇÃO QUE AS PESSOAS TÊM É QUE NÃO EXISTE MAIS ESPERANÇA PARA ENCONTRAR A LIBERTAÇÃO.

Tomando o exemplo do naufrágio de Paulo, que tipo de gente seguia naquele navio? Presos, inclusive Paulo, como está nos vss.1 e 2 do mesmo capítulo.
“Quando ficou decidido que navegaríamos para a Itália, Paulo e alguns outros presos foram entregues a um centurião chamado Júlio, que pertencia ao Regimento Imperial. Embarcamos num navio de Adramítio, que estava de partida para alguns lugares da província da Ásia, e saímos ao mar, estando conosco Aristarco, um macedônio de Tessalônica”.

Interessante, Paulo não está indo de primeira classe, está sendo conduzido à Roma como preso. De repente, o navio se destroça e de imediato a intenção dos soldados era que todos presos fossem mortos, para que nenhum deles pudesse empreender fuga nadando. At 27.42 Os soldados resolveram matar os presos para impedir que algum deles fugisse, jogando-se ao mar.

Que situação, o navio vai a pique, e a chance de fugir seria coibida pelas espadas dos soldados, isto significava que nem mesmo o naufrágio criava a possibilidade de serem livres, aí perdeu se toda a esperança completamente.
 
Atualmente há uma multidão incontável que já não tem mais esperança, aliás, vivem sem esperança, sem um sonho, sem um projeto de vida, são reféns da prisão chamada drogas, estão ainda acorrentados na escravidão do pecado, não conseguem tirar nem dos lábios a enfermidade, antes só confessam destruição, à primeira dor de estomago já imaginam como dizem eles, ái é úlcera, câncer, ai eu estou com as dez pragas do Egito. Gente que não acredita mais na esperança.

E nós que temos a esperança viva em nós, o que temos feito, chegamos à igreja e dizemos: tem pouca gente hem? Mas o que temos feito para mudar o quadro. Quanto tempo semanal tem tirado para levar a esperança aos desesperançados? Andamos com um folheto de evangelização na mão? Oramos quanto pelos perdidos? A nossa atitude de crente está gerando expectativa no incrédulo de conhecer a esperança? Qual foi a ultima vez que falamos de Jesus para alguém? A falta de ocupação nossa com o que é secular tem tirado a oportunidade de algum desesperançado retomar a esperança em Jesus.

OS FATOS ACONTECIDOS ACABAM POR GERAR UMA FALTA DE ESPERANÇA NO LIVRAMENTO.

O vs 37 diz que havia naquele navio 276 pessoas. Estavam a bordo duzentas e setenta e seis pessoas. Já assistiu a cena de alguém no meio de uma tempestade, o desespero é grande, imagine 276 pessoas que experimentaram a fúria do Euro-Aquilão, um tufão de grande proporção que se abateu sobre o navio e isto gerou naquelas vidas a perda da esperança. Pelas circunstâncias não tinha como eles verem uma saída para escaparem com vida. O parecer geral era que nunca se livrariam daquele drama.

Estavam tão sobressaltados com o ocorrido, com a ansiedade que segundo Atos 27:33-36 a falta de esperança de um livramento, isto é de sair com vida daquela situação, que por 14 dias nem comer queriam aqueles homens. Pouco antes do amanhecer, Paulo insistia que todos se alimentassem, dizendo: Hoje faz catorze dias que vocês têm estado em vigília constante, sem nada comer. Agora eu os aconselho a comerem algo, pois só assim poderão sobreviver. Nenhum de vocês perderá um fio de cabelo sequer. Todos se reanimaram e também comeram algo.

E então Paulo cheio do Espírito Santo tomou pão e deu graças a Deus diante de todos e começou a comer. Um ato  restaurador dos animos para crerem que o livramento estava chegando. E atitude dele foi simples, partiu um pão e Deus graças na presença de todos.

Quantas vezes perdemos oportunidade de quando estamos com colegas da escola, da faculdade e do trabalho e nos assentamos a comer e esquecemos-nos de dar graças pelo que temos a mão para comer. Isto revela falta de fé, falta de testemunho, e a pessoas só recobram a esperança quando vêem alguém do grupo externar a fé e confiança no Senhor. Quando assim agimos exteriorizamos a certeza do livramento, pois Deus é quem cuida de nós.

PIOR QUE NÃO TER ESPERANÇA DE LIBERTAÇÃO, PIOR DO QUE PERDER A ESPERANÇA DO LIVRAMENTO E SER SALVOS COM VIDA É PERDER A ESPERANÇA DA SALVAÇÃO.

Então praticamente tudo estava perdido, mas dentre aqueles homens havia um temente a Deus, e quando ninguém mais cria, porque diz o texto no VS. 20 que a esperança se dissipara. Para aqueles náufragos não havia outra confissão. Já era. Mas Paulo temente a Deus e conhecedor do que Jesus é capaz de fazer traz uma declaração que abre a porta para que a esperança volte àqueles varões.

Em Atos 27:23 e 24 está a declaração: Pois ontem à noite apareceu-me um anjo do Deus a quem pertenço e a quem adoro, dizendo-me: Pois ontem à noite apareceu-me um anjo do Deus a quem pertenço e a quem adoro, dizendo-me:Paulo, não tenha medo. É preciso que você compareça perante César; Deus, por sua graça, deu-lhe a vida de todos os que estão navegando com você. 
 
Uma pergunta se faz necessário: QUEM É O SEU DEUS? QUAL É O DEUS A QUEM VOCE SERVE?

Não é difícil dizer que serve a Jesus e que é propriedade dele, mas o que realmente tem feito por Jesus, pela sua causa? Porque a sua vida não é entregue totalmente a Jesus? Parece que Jesus esta inscrito no programa “Sua alma, minha vida” e está pulando miúdo para conseguir todos os requisitos para possuí-la. Por quê? Porque loteamos o nosso coração. Um quarto para isto, outro pedaço para aquilo e Jesus passa habitar em comodinho do fundo, no meio de tanta bagunça. No meio de tanta porcaria que injetamos pelas principais portas de entrada do nosso corpo, mais acentuadamente os olhos e ouvidos.

Creio que você não experimentou um naufrágio, mas com certezas já teve dias obscuros onde parecia mesmo que o sol não havia brilhado. De igual forma noites infindáveis de intensas trevas atravessamos sem experimentar nem sequer o brilho de uma estrela só. Quantas também não foram as tempestades que nos sobreveio, entretanto nós temos tido a felicidade de termos a esperança fundamentada, e se para você parece não haver mais esperança, nós queremos orar por você para que Cristo seja sua eterna esperança. Envie um email para vanelli.ap@gmail.com e estarei orando pela restauração da sua esperança e seus sonhos.

24 fevereiro 2017

USANDO MATERIAL ADEQUADO, OBTÉM SE MELHOR RESULTADO





Sabe aquela arrumada no quartinho de bagunças que as vezes temos que fazer? Então peguei uma dessa, acompanhada de uma alergia do pó velho. É complicado, mas as vezes nos redescobrimos entre objetos e papéis velhos massarocados em uma caixa, isso mesmo uma caixa de papeis antigos, históricos escolares, diplomas, certificados de tudo quanto é curso que a família toda já realizou, e uma dos papéis velhos me chamou a atenção: o diploma do 4º.ano, na época, considerado o certificado de conclusão do curso primario, datada de 14 de dezembro de 1962.

O diploma, como a gente chamava, está meio massacrado de tanto que já andou, primeiro emprego, outros estabelecimentos que exigiam a apresentação, até para o curso de admissão ao ginásio, já que naquela época não existia xerox, mas no diploma dois nomes em negrito, escritos à pena de forma caligráfica  para durar muito tempo: o nome do diretor da Escola e o nome do formando, no caso, eu,prazer, José Armando Vanelli.


Mas porque estes dois nomes, a data do nascimento e a data do diploma estão tão legíveis? Por que foram escritos com material adequado, neste caso, com tinta nanquim. A tinta nanquim tem propriedades de grande fixação. Ela era na época do diploma obtida a partir da tinta preta liberada pelos moluscos marinhos da família dos octópodes (polvo e lula), hoje é fabricada a partir de uma mistura de cânfora, gelatina em pó escuro conhecido como pó-de-sapato. Tanto faz, em 1962 ou em 2017, a nanquim era e é material adequado, logo em um certificado, diploma, brasão, ou outro local de impressão, o resultado é para longa duração.


Tudo isto escrevi para falar acerca do Salmo 45. E por que o salmo 45 fala de algo que não pode ser teórico, antes prático e envolvente. Já ao iniciar o salmo, os autores falam de algo que revela a convicção de um cântico ao Senhor: “ o meu coração transborda de boas palavras”. Lembro me certa vez que visitava uma senhora de idade e ela pôs água no fogo para fazer um café, e de repente eu comecei a ouvir uma espécie de chiado forte, um apito estridente e perguntei o que isto minha irmã? E ela me respondeu toda feliz, a minha chaleira assovia quando a água está fervendo.


Tenho pensado seriamente sobre todo este tempo preguei a palavra de Deus, 40 anos,  que um ministro de Deus não pode se apresentar friamente diante de um publico para trazer a mensagem de Deus, antes tem que assumir o púlpito com um coração fervente, pois o que vem de Deus é animador e estimulante.


Como é chamativo o versículo 1: “ ao rei consagro o que compus”. Isto mexe com meu íntimo porque fala diretamente do chamado que temos, todos nós fomos chamados a ter uma vida que harmonize se como uma composição ao Rei, com a inspiração do Espírito Santo.


Se nos prendermos às nossas próprias palavras e ações não encontraremos dignidade para descrever nada sobre o Rei, mas se permitirmos a ajuda do Espírito Santo, a palavra, o testemunho, o anuncio do evangelho será borbulhante e fervente.


Fico pensando na realeza do momento em que os filhos de Coré conceberam este salmo, é provável que ao compor esse cântico destinavam o a uma cerimônia nupcial, porém enfatizam o Rei nos versículos 1 a 9, e o que mais impressiona é eles mantém em todos os 17 versículos a forma didática, isto é, um salmo reflexivo com aplicações pedagógicas, o que me deixa a vontade para afirmar que tudo na na Bíblia está vinculado ao ensino e prática dos princípios divinos.


Agora se não bastasse a aplicação de fazer certo o que pretendiam, os autores usam de uma expressão tremenda “ a minha língua é como a pena de habilidoso escritor”.


Na escola que me formei em 1962, a carteira tinha um buraco e um tinteiro e usava-se uma caneta com pena removível, e tudo o que era escrito era com aquela tinta e caneta. As vezes a tinta vinha misturada, sobrava restos nos vidros de tinta no almoxarifado e o servente misturava tudo e enchia os vidros. Eu chamava a professora e reclamava porque as letras ficavam desiguais na cor. Quando eu chegava de manhã na sala de aula a primeira coisa que eu fazia era ver se o tinteiro tinha tinta suficiente e de uma só cor para as atividades até ao meio dia.


Lembra do titulo da mensagem? Então material adequado, melhor resultado. Por isso pego esta linha de pensamento, será que estamos usando a tinta pura, Deus não quer nada colorido, Ele quer algo definido. Será que o material, quer dizer, a tinta que estamos usando nos dá a condição de sermos como o destro escritor. Ou estamos usando tinta misturada.


Eu participei de um retiro em novembro de 2001, em Brasília, DF, e nos intervalos das ministrações ao invés de bola, divertimento, piscina e outros, o tempo que tínhamos era para escrever um salmo ao Senhor. Que coisas tremendas saíram das minhas mãos e companheiros. Porque conseguimos este feito? Por que estávamos usando o material adequado. Usando a tinta pura.


E quando é que a tinta é pura? É quando a nossa vida está cheia da Palavra de Deus então, cheios, transbordantes da Palavra, então a nossa língua vai manifestar palavras de consagração ao Rei.


Toda a leitura da Palavra visa que debaixo da inspiração do Espírito Santo, venhamos a nos encher do material adequado, da tinta pura, para sermos instrumentos da impressão dos projetos divinos àqueles que nos cercam.


Murmuração, reclamação, lamúria, desconfiança, suspeita e até a falta de compreensão aos limites que nos cercam, são sinais visíveis da utilização de material inadequado, ou misto, quer dizer, recebe a Palavra de Deus de bom grado, mas não rejeita as coisas do mundo. De repente as novas cores ditadas pelo sistema, se mesclam à tinta pura da Palavra de Deus. Não podemos aceitar.


Estes dias atrás no Facebook, mais necessariamente ontem, no perfil de dois amigos  havia um tipo de enquete sobre o BBB com um tarja em vermelho NÃO VOU ASSISTIR. É lógico que eu curti isto e ainda comentei: “ já está difícil de pagar a taxa absurda de água, não vou querer a rede esgoto na minha sala”, nunca assisti este lixo chamado BBB, nem vou assistir agora. Crente que lê Bíblia e que assiste BBB está misturando tinta de péssima qualidade numa tinta especial .


Os filhos de Coré estavam tão cheios da boa tinta da Palavra que eles tiveram a liberdade para escrever um poema que enobrece aos que são alcançando, repito, o ínicio, a mostra do que vai ser o salmo é traduzido pelo versículo 1 “de boas palavras transborda o meu coração”. É isto, Deus não busca nada de vulgar para alcançar vidas, Ele espera e quer “palavras boas, que se emergem da tinta pura da Palavra de Deus.”


Comumente lemos um texto, apreciamos, mas retemos só por um período, e não buscamos novas porções que nos animee e impulsione a ser um transmissor da verdade. É preciso estar encharcados desta tinta maravilhosa da Palavra que sempre descreve uma nova perspectiva de vida. Quando estamos cheios do material adequado, o melhor resultado será o fazer coro com o que o sábio escreveu em Provérbios 23: 18 “porque deverás haverá bom futuro; não será frustrada a tua esperança”.


Uma vez ganhei uma caneta Parker, tinteiro, muito boa mesmo, e eu desrosqueava a parte de cima toda vez que a tinta estava acabando e havia uma recomendação no manual da caneta, que para um melhor aproveitamento da pena, deveria ser apertado fortemente a parte interior dotada de uma bisnaguinha de látex apoiada por um dupla haste metálica, até que saísse toda tinta velha, evitando assim vazamentos ou borrões.


Parece linguagem figurada, mas não é, eu penso que muitas vezes a nossa mente está tão cheia de argumentos e resiste a este pressionamento mais forte que gerará uma limpeza adequada tirando as misturas coloridas que querem homogenizar com a tinta da Palavra.


Tirar as tintas erradas gera dores, porque as tintas erradas falam da alma, da nossa vontade, mas a tinta certa fala do Espírito.


Deus e a sua Palavra não podem ocupar um mesmo espaço onde tem coisas contrárias à santidade. E é nesta hora que temos que tomar a atitude ousada do salmista: ”Ao rei consagro o que compus”. Isto fala de uma ação de fé. Justamente, fé. E fé deve ser o nosso agir diário. Então quando começamos a agir em fé, um alvoroço vai romper em nosso interior, com uma vantagem, não na alma, mas no espírito.


Quem age na alma não tem fé. E quando enchemos a nossa alma estamos usando tinta errada. Sempre vejo nas casas do ramo anuncio de um material que a primeira vista parece serde qualidade, mas depois que você compra fica difícil. Numa casa que vende material de primeira qualidade, uma galão de 18 litros de tinta custa mais de 200,00 reais, aí na próxima loja em promoção, tinta para interior e exterior 18 litros, 39,90 reais. A diferença você percebe só na 5ª.demão, que ainda não cobriu a tinta velha.


Temos que estar cheios da tinta certa, do material adequado, para que a nossa vida seja uma composição consagrada ao Rei. A nossa língua como pena do habilidoso escritor. Se consagramos podemos escrever uma nova história, sair do marasmo, da mesmice, da mesma liturgia de sempre, mas para isto precisamos usar o material adeaquado.


Soube que houve um seminário do Fogo e Glória no SESC de Belo Horizonte, e lá estava o pastor Antonio Cirillo com aquele louvor que despovoa o céu e enche a terra de anjos, arcanjos, querubins e serafins e algo fenomenal aconteceu lá. O fogo caiu, as pessoas foram tão cheias do fogo que não podiam parar em pé. Era gente soluçando de um lado, outros por outro, ninguém conseguia ficar em pé. Era o fogo.

Depois de muito tempo de fogo, pastor Antonio Cirillo foi reconduzindo a situação e de repente ele faz uma pergunta: Quantos aqui depois deste fogo querem aceitar a Jesus Cristo? Ninguém levantou a mão. Só havia crentes. Então ele arrematou. Vocês passaram o que passaram, para vocês foi ótimo, mas para Deus não valeu nada porque as bocas de vocês não anunciaram o evangelho. Aqui no SESC tem muita gente para muitas outras atividades, então vocês sairão agora e vão anunciar o evangelho e cada um vai trazer uma pessoa aqui para se render aos pés de Jesus.


Todos saíram e ele ficou lá com o violão, passado algum tempo começou a chegar gente acompanhada dos que foram anunciar e muitos, muitos mesmo se renderam em lágrimas aos pés do Senhor. Até então todo mundo estava no Fogo, agora era a Glória.


Se queremos obter um melhor resultado, precisamos usar o material adequado. Tudo que fizermos tem que deixar a marca, a impressão de que a tinta que usamos era a tinta verdadeira: a Palavra de Deus.


De boas palavras transborde o seu coração, ao Rei consagre o que compôs e a sua língua seja como a pena de um habilidoso escritor.

23 fevereiro 2017

UMA MENSAGEM PROFÉTICA SOBRE MOGI GUAÇU



Você tem visto minhas publicações no Perfil do Facebook e na Página do Pastor Vanelli, que num comando dado pelo Senhor, retomei as caminhadas proféticas e estou visitando os bairros da Mogi Guaçu, e em cada lugar visitado, tenho orado a Mensagem Profética sobre Mogi Guaçu, que o faço desde 2001, quando assumimos  uma aliança com um Rabino messiânico de Jerusalém. Trocamos as bandeiras de Mogi Guaçu e Jerusalém. Tomamos posse da Bandeira de Jerusalém, e para Jerusalém foi levada a Bandeira de Mogi Guaçu que foi entregue ao Rabino pelo Prefeito da época, Hélio Miachon Bueno.
 
Agora mais do que nunca Mogi Guaçu está carente de uma proclamação profética, à vista das crises política, financeira e moral que passa o Brasil, e por isso,  estamos postando aqui o símbolo da aliança, as duas bandeiras, a oração escrita como mensagem profética sobre esta terra, e que isto seja por memorial do ato acontecido.

"Por amor de Mogi Guaçu não me calarei e, por amor, não aquietarei até  que saia a sua justiça como um resplendor, e a sua salvação, como uma  tocha acesa.


As nações verão a tua justiça, e todos os  governantes, a tua gloria e serás uma coroa de glória na mão do Senhor,  um diadema real na mão do teu Deus.


Nunca mais te chamarão a  “terra do desemprego” ou a “terra das rixas políticas”, mas chamar-te-ão  “Minha Delícia” e a “Noiva”, porque o Senhor se alegrará em ti e te  desposará.


Porque assim como o jovem desposa a donzela, assim  teus filhos desposarão a ti, como o noivo se alegra da noiva, assim de  ti se alegrará o teu Deus.


Sobre os teus limites, ó Mogi  Guaçu, pus intercessores , que todo dia e toda noite jamais se calarão.  Não deis descanso ao Senhor até que estabeleça Mogi Guaçu e a ponha por  objeto de louvor na terra.


Jurou o Senhor pela sua mão  direita e pelo teu braço poderoso : nunca mais darei o teu alimento por  sustento aos teus adversários, nem os estrangeiros beberão o teu vinho,  fruto de tua fadiga e esforço. Mas os que ajuntarem o comerão e louvarão  ao Senhor com alegria. Os meus filhos, nesta cidade, terão e comerão do  Senhor.


Passai, passai pelas portas, preparai o caminho para  todos, tapai as brechas, removei as pedras, levantai bem alto a minha  bandeira a todos os povos.

Eis que o Senhor faz ouvir até as  extremidades da terra esta mensagem: Dizei aos meus escolhidos que Eu, o  Salvador, estou chegando e trazendo recompensa a cada um.


Vós  sereis chamados “O Povo Santo, “O Povo que o Senhor libertou”, e tu,  Mogi Guaçu, serás chamada “A terra desejada”e a “Cidade Abençoada de  Deus”

(este texto de Isaías 62 está baseado na versão amplificada )

22 fevereiro 2017

O ULTRASSOM DIVINO









Achei no mínimo interessante a atitude do Jamil e Gabriela , nossos irmãos em Cristo, ao realizarem o chá do bebê que em breve chegará. O sexo do nenêm seria revelado naquele evento, onde eles abririam um envolope que até aquele momento, estava em oculto se seria um menino ou uma menina. Lógico que há de se pensar que hoje contamos com a espetacular capacidade da ciência em mostrar aquelas imagens internas do útero, medir tamanho, definir peso, número de semanas, batimento cardíaco e depois de alguns meses, definir  o sexo da criança, um avanço científico espetacular.

Tenho pensado na alegria dos pais quando então por este recurso tecnológico descobrem o sexo do bebê que virá e aí então já até confirmam os nomes previamente escolhidos. Alguns casais sempre usam a alternativa de escolherem dois nomes, uma para o sexo masculino e outro para feminino, e a torcida fica sempre interessante, as vezes o pai querendo um menino para reforçar a bancada masculina em casa e a mãe torcendo por uma menina de igual modo.

O tempo passa e chega o grande dia do ultra-som onde tudo se resolve. Menino ou menina? Lá está o resultado do mecanismo capaz de detectar o sexo e tantas performances físicas do rebento que em breve chegará. Estou falando de mulheres que chegaram a este ponto por sua capacidade natural de fertilidade, e depois disto, com exames do pré-natal as coisas vão se delineando no decorrer da gravidez, mas pense comigo, a situação de duas mulheres que recebem o aviso por antecipação, de que os seus filhos seriam homens, antes de conceber.


Ultrasom de perfil

Estranho isto? De jeito nenhum, e ainda eram primos os meninos. Há dois pareces do Dr. Jeová em duas passagens diferentes no manual do fabricante do homem, a Bíblia. Uma em Mateus 1:18-21 e outra em Lucas 1:5-13, e o mais interessante é que no ultra-som divino, além do sexo, a família já recebia o nome dos meninos que iriam nascer. No primeiro caso, Jesus, e no outro, João. Quanto ao caso de Jesus, já havia 700 anos uma definição sobre o seu nome, como narra Isaías 9:6 : “...e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”.

Talvez a primeira vista não se perceba o grande objetivo de Deus nesta designação ultra-sonográfica, principalmente com relação ao nome Maravilhoso, mas na verdade este termo usado no Antigo Testamento exclusivamente utilizado para enumerar características da personalidade divina, visava fazer uma ponte entre Isaias 9:6 e Apocalipse 4:7, quando então o diagnóstico agora já não é o nascimento de um só, mas o surgimento de uma nova raça, o que vale dizer que Deus já tinha nos visto há milhares de anos para que fôssemos chamados “nação santa e sacerdócio real”.

Jesus e João passaram pelo ultra-som de Deus, receberam por antecipação ao nascimento os seus nomes, mas eu e você, já estávamos também no projeto divino, e é por isto que a destreza das mãos inspiradas de Davi, ao discorrer sobre a onipresença e onisciência do Senhor assim narrou “ Teus olhos viram a minha substância ainda sem forma, e no teu livro os dias foram escritos, sim, todos os dias que me foram ordenados, quando nem um deles ainda havia”. (Sl 139:16).

Estamos debaixo dos olhos do Senhor, nada escapa ao seu olhar e pelo seu Espírito é capaz de perscrutar o mais íntimo da nossa alma. Seria melhor viver hoje como se fosse nosso último dia na terra e o primeiro dia no céu.  A este Deus toda honra, glória e adoração.

21 fevereiro 2017

O PRIMEIRO DEGRAU PARA UMA VIDA CRISTÃ PLENA: S E R V I R!







Num desses dias onde a graça nos alcança ganhei um almoço em um bom restaurante da região e ali comecei a perceber como está complexa a postura serviçal do homem. Fiquei acenando diversas vezes para conseguir algo para beber, e enquanto isto a moça lavando os copos estava com os olhos pregados na televisão, posicionada acima de nós. Até que chegou um momento que tive que apelar para um assovio, destes que faz a pessoa distraída dar um pulo. Ah.perdão, estava entretida, pois não o que desejam. Sorrí e pedí: “ uma sweeps citrus com limão e gelo”.

Aquele episódio me fez lembrar do meu primeiroo emprego: auxiliar ao serviço garçons em um restaurante especializado em peixes. Tinha que estar atento e servir da melhor maneira, então comecei a confabular com os meus botões. Por qual motivo em todas as áreas de trabalho a nossa geração perdeu a visão do servir, do que é serviço? Sempre tive comigo que servir é fazer algo em prol de outra pessoa, a fim de ajudá-la, mas, nos nossos dias surgiu a era do “sirva-se a si mesmo”, ampliado por esta idéia de “self-service”.

Com toda a mudança comportamental que sofremos no decorrer de uma educação que impõe mais usufruir do que beneficiar, até mesmo na igreja a idéia de serviço está na eminência do desaparecimento. Aquele ideal que marcava a cada crente de ajudar o próximo, e o próximo não é o da irmandade, mas o próximo mesmo, acabou perdendo terreno.

E isto acaba atingindo até o maneira de avaliação do culto que acabamos de participar, porque não focamos o culto como serviço, mas se tiramos proveito dele, se nos sentimos bem, se o todo do culto nos serviu. E isto contrapõe o ensino do Cristo, pois ele mesmo disse :” Marcos 10:45 “Porque o Filho do homem também não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos.”

E os que tem chamado para serem ministros da palavra de Deus precisam formar consciência de que não foram chamados para serem administradores ou professores, antes, restauradores de almas, servindo-as. Ninguém pode estar a frente de uma obra se não tiver a consciência de que seu principal ministério é “servir”.

Lembro de uma história sobre Abraham Lincoln. Ele foi presidente dos Estados Unidos e certa feita caminhava por uma rua quando deparou com uma senhorinha que carregava às pressas e sôfrega suas malas. Lincoln se aproximou e perguntou: onde vai com tanta pressa, ela disse, senhor o vapor sai logo mais e não posso perdê-lo, Lincoln pegou a maior das malas, jogou as costas e caminhou rapidamente seguido daquela mulher. Chegaram em tempo, ao embarcar ela foi agradecer e então olhando para aquele homem a sua frente disse: “Meu Deus, eu só percebi agora, e como pôde fazer isto, o senhor é o presidente do Estados Unidos, e Lincoln respondeu: senhora se não servir para carregar a sua mala, não sirvo para ser o presidente desta nação”.

Penso que quando chegamos a ponto de que em nós o espírito de serviço se transforma em ação, acontece o transbordamento da vida cristã em favor do nosso próximo. De igual forma, o culto que participamos tem que ser o transbordamento da vida cristão em direção a Deus.

No momento em que cultuamos a Deus, somos movidos a tal, em função de que Ele é o Senhor. Se adoramos a Deus, devemos estar fascinados, porque Ele nos serviu primeiro.Que tipo de reação pode ter o homem diante de Deus a não ser submissão, simplicidade, inclinação, humildade. A nossa reação vertical diante de Deus deve ter esta postura, por que isto nos levará á pratica de expressamos amor ao próximo, porque Deus mostrou o que é servir quando nos transferiu através de Jesus, para o Reino de seu filho amado.

A obediência, a gratidão  a Deus por tão grande obra e a disposição para as suas fileiras, mostram o espírito de serviço, e este devemos expressar em atitudes de amor para o nosso próximo.

Quando nos aprofundamos no conceito de “servo”, vamos encontrar ensino no Novo Testamento que revelam duas primordiais caracterísicas:”agir em favor do próximo”  e “submissão a um senhor”. Três fortes termos indicam o servir : “diakonos”, que  se traduz por servo; “doulos” muito usado e aplicado para o povo de Deus, e literalmente significa “escravo de Deus e servo dos homens”, e ainda “litourgos” que dá a idéia de alguém que recebeu designação para uma missão especial.

Nem um dos três termos é aceito por todos, não são funções populares. Basta olharmos ao nosso derredor e prestar atenção em quem gosta de acatar respeitosamente às ordens passadas, e para definir mais ainda:”quem gosta de servir alguém”?

Um exame com mais acuidade visual nos levará a compreender que pelo padrão bíblico, “ser dado ao serviço” hoje, é uma oposição ferrenha aos padrões do mundo, porque este por sua vez, só mostra um ambiente onde as pessoas só desenvolvem interesses egoístas. Por que isto?   Porque o Senhor deste mundo é Satanás. “...porque se aproxima o príncipe deste mundo, e nada tem em mim; Jo 14:30

Os valores deste mundo não se coadunam com o espírito de serviço cristão, porque se alguém ama o mundo ama os valores do mundo, desta forma o amor do Pai não está nele. Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. 1Jo 2:15

Quem se utiliza os princípios bíblicos para servir, usa de algo que é diametralmente oposto ao padrão deste mundo, ocorre, no entanto que uma vida assim por estes princípios quer nos parecer incômoda porque acabamos conformados pelos padrões do mundo. Se alguém quer ser feliz, precisa servir. O verdadeiro espírito de serviço granjeia amigos, exerce influencia sobre as pessoas, e traz resultados que superam nossas expectativas.

“Porque eu desci do céu, não para fazer a minha própria vontade, e sim à vontade daquele que me enviou”. João 6:38 Ora estas palavras me impelem a uma narrativa maravilhosa que João fez no capítulo 13, dos versos 1 a 15, e em particular, faço mençao do ultimo verso, contendo a recomendação de Jesus que o exemplo dele deve ser seguido: "Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também."

Impressiona-me o exemplo de Jesus ao servir seus discípulos lavando os seus pés. Muitos entendem que esta atitude não é para os nossos dias, mas os católicos na chamada semana santa assim procedem, os adventistas também o fazem quando ministram a Ceia do Senhor. Hoje, em alguns movimentos e práticas de discipulado tem se restaurado a lavagem dos pés dos discípulos pelos seus discipuladores. É uma atitude linda, mas que não deveria ser apenas privilégio de quem pode pagar uma custosa taxa de um reencontro, deveria ser algo estendido a todos da igreja, afinal, implica em muito cuidar o discipular, mas surtirá mais efeito se o discipulador tiver em si o “espírito de serviço”, e este estendido a todos, não só ao circulo do poder aquisitivo dos eventos promovidos pela igreja.

Asaph Borba, um homem com uma dinâmica descomunal na área do da adoração e discipulado, e que se convertue a Cristo também como eu, em 1974, descobriu que o espírito do serviço ao próximo, pode ser praticado com pequeninas coisas. Eu descobri um vídeo de Asaph e sua esposa de um encontro de casais que retrata bem isto, e até de um jeito bem descontraído, ele conta como surgiu a canção (que marcou a minha vida em 17/nov/2001 em Brasília) que recebeu o nome “ Serviço”.
Desfrute deste vídeo e música, gravados no Encontro de Casais Julho 2009, e desperte o “espírito de serviço” que deve ser nato em todos discipulos de Cristo, desde a lavagem dos pés até um pequeno serviço prestado ao próximo. 


20 fevereiro 2017

UM BRAÇO DE APOIO, UMA MÃO AMIGA.





Com a modernidade e facilidade dos aplicativos para Smartphones, quase que diariamente falo, quer dizer digito e troco idéias com os frutos do  persistente trabalho de evangelismo pessoal que sempre realizei, quer falando com cada pessoa ou mesmo distribuindo folhetos, e  um folheto em 1985 acabou  trazendo-o  à vida plena e abundante que Cristo oferece. Lógico que é sempre gratificante ter alguém assim no relacionamento, porque isto gera saúde e nos motiva a continuar na empreitada que o Senhor nos chamou.

Quase sempre fico pensando que amigos e colegas de ministérios também experimentaram alegria como a minha, mas também, tem os que como de igual forma já passei, depararam se na trajetória ministerial com adversidades geradas, por exemplo, por um gigante do tipo Isbi-Benobe.

Estou falando do ocorrido em 2 Samuel 21 quando da narrativa de guerras contra os filisteus, mais precisamente a partir do versículo 16. Davi estava acostumado pelejas renhidas e desce com seus guerreiros, mas esta luta resulta num cansaço fora do comum tornando-o presa fácil do maligno Isbi-Benobe que portando uma espada nova intentava ferir a Davi.

O inimigo conhecia a Davi, sabia o que queria ferindo-o, tanto que Abisai que socorre o rei matando o filisteu reúne os companheiros de batalha, convencionam não permitir sob juramento que Davi não mais os acompanharia nas batalhas para que a luz de Israel não se apagasse.

O esquema, a estratégia do inimigo tem a mesmice desde o Jardim do Éden de sempre ferir a liderança, deslocar os que portam a luz do esclarecimento, a direção ou norte do grupo. Nem sempre gostamos de admitir isto, mas é uma realidade. Um pequeno ataque contra o filho, uma ação mais afrontante pessoal por alguém da confiança, tudo isto somatiza um abatimento físico e psíquico, talvez na hora que mais precisamos de energia para a batalha da vida cotidiana em andamento e que parece infindável.

Quem sabe o episódio do socorro de Abisai a Davi leve principalmente os que estão liderando grupos a precaverem se com o iminente perigo de uma proliferação quase que imperceptível dos Isbi-Benobes que se apoderam do momento adequado do nosso cansaço para usar a sua espada ferina para tentar nos anular na árdua batalha que temos que levar avante pela causa do Senhor.

Creio que podemos usar a ênfase do texto, como um conclamar a cada um que está à frente de um trabalho, que lidera, que dirige, que preside, para que atente para a descoberta de um verdadeiro Abisai, capaz mesmo cuidar e velar pela liderança.

Durante 27 anos à frente da Missã Paz e Vida de Mogi Guaçu tive a felicidade ter encontrado não um, mas vários companheiros, amigos e fiéis escudeiros como Abisai. Um deles é este que troca mensagens semanalmente comigo e  que sempre, onde quer que eu esteja, está sempre pronto a apoiar, socorrer e ser por esteio na hora do cansaço de quem está na batalha há tanto tempo.

Evidentemente por nossas  tantas atribuições ministeriais, necessariamente não precisamos estar todos os dias juntos, mas, ele como filho, é iguaal a Abisai, dotado de  atenção  ao perigo do ataque de Isbi-Benobe e capaz de ser uma mão amiga na hora do cansaço.

Tenho orado para que cada líder encontre seu Abisai e desfrute do companheirismo, amizade e fidelidade, mas que atente também ao perigo da retomada dos Isbi-Benobes, infelizmente, mais fáceis de despontarem do que os Abisais, e que estes possam dizer aos Davis que Deus tem levantado: você pode contar comigo irmão, ofereço o meu braço de apoio, a sua dor é a minha dor. Desta forma experimentaremos um pouquinho do que é unidade. 

"UNIDADE NÃO É PARTICIPAR UNIDOS DE EVENTOS IDEALIZADOS POR UM OU OUTRO GRUPO, UNIDADE É SE OFERECER EM APOIO NA HORA MAIS DIFICIL A QUEM NOS CONDUZIU A CRISTO" 

"ANTES DE MOSTRAR AS PATENTES DE COMANDANTE, SEJA O ABISAI QUE AUXILIA AO QUE TE LEVOU ÀS FILEIRAS DE DEUS"

19 fevereiro 2017

QUANDO O AMARGO SE TRANSFORMA EM MEL.





As vicissitudes da vida as vezes nos levam a pensar que os momentos difíceis que experimentamos são irreversíveis e que cada vez mais fica distante a possibilidade, a chance de retomamos o tempo antes do ocorrido, do fato que nos brindou um tempo de dor, angustia e amargura. 

Em um determinado tempo tive que atender a um pastor muito amigo e compartilhamos então situações experimentadas em nossos ministérios. Tivemos, no decorrer daquele período que unirmo-nos num momento de oração por uma vida que se encontrava em profunda comoção emocional.Não obstante aquele problema apresentado, falou me também o irmão que sua igreja precisaria para um evento de uma boa quantidade de açúcar, e então através de uma empresa amiga da obra, consegui uma porção generosa de açúcar, e então o tempo que começamos de amargor, acabou por findar em uma acentuada doçura.

No entanto, quando conversávamos ouvi que o momento crucial daquele pastor que passava por uma crise, que ele disse que o que  experimentava era tão amargo que nada poderia resgatar a doçura saboreada em outro tempo.Ora, só existe algo que pode ser mais amargo do que o amargo, “é a mentira que nada pode ser mudado ou nada pode ser retomado ao estado original”. 

Como se percebe, tendo lido muito o livro de Êxodo, e grifei um texto do capítulo 15:22-27, porque comecei a vislumbrar o quanto é  possível transformar a amargura em doçura, quando tem a intervenção de Deus no negócio. “Fez Moisés partir a Israel do mar Vermelho, e saíram para o deserto de Sur; caminharam três dias no deserto e não acharam água.Afinal, chegaram a Mara; todavia, não puderam beber as águas de Mara, porque eram amargas; por isso, chamou-se-lhe Mara.

E o povo murmurou contra Moisés, dizendo: Que havemos de beber? Então, Moisés clamou ao SENHOR, e o SENHOR lhe mostrou uma árvore; lançou-a Moisés nas águas, e as águas se tornaram doces. Deu-lhes ali estatutos e uma ordenação, e ali os provou, e disse: Se ouvires atento a voz do SENHOR, teu Deus, e fizeres o que é reto diante dos seus olhos, e deres ouvido aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, nenhuma enfermidade virá sobre ti, das que enviei sobre os egípcios; pois eu sou o SENHOR, que te sara.Então, chegaram a Elim, onde havia doze fontes de água e setenta palmeiras; e se acamparam junto das águas.”

Porque na maioria das vezes as pessoas experimentam mais a amargura do que a doçura? Porque vivem em constante reclamação acerca de tudo e de todos. Na verdade estas pessoas abrem a boca para exporem suas lamúrias, murmuração e lamento sobre as suas próprias sortes.E elas não são imaginárias, elas existem e estão por todos lados e  encontramo-las  até mesmo nas nossas famílias.

Lembro me de uma pessoa que uma vez um oficial da igreja falou sobre uma senhora que precisava falar muito comigo, e eu me assustei porque a narrativa dele foi tão detalhada acerca da consternação daquela mulher, que descobri que pessoas com esta intensidade de amargura conseguem mesmo adoecer até quem vive à sua volta.

Mas, há uma boa noticia, existe remédio para estas vidas. As pessoas podem voltar a serem doces, agradáveis e desfrutarem de novo da felicidade, da mesma forma que Deus transformou as águas de Mara, de amargas em doces. E como se processa isto? Como ocorre esta mudança? Primeiramente, tornar o coração aberto a Deus, e clamar a Ele para que a amargura se transforme em doçura.

Este texto que li e reli diversas vezes mostra a história da jornada do povo de Israel, quando deixando o Egito caminhavam pelo deserto já se encontravam três dias sem água e quando chegam à Mara, nasce uma tremenda murmuração contra Moisés porque as águas encontradas eram amargas.Este relato da Palavra de Deus nos ensina que quando defrontarmos com adversidades, ou situação difícil, nada adiantará as reclamações ou murmurações contra quem quer que seja. A sugestão correta aqui é que quando os ventos parecem contrários, em lugar da reclamação ou da murmuração partamos para levantar um clamor a Deus, porque quando clamamos a solução vem. Quando experimentamos complicações, amargura, para provar o retorno da doçura temos que tomar a decisão de colocarmos tudo nas mãos de Deus e nEle confiarmos.Então fica claro que o caminho que faz o amargo se tornar doce é o caminho da obediência.

Imagino que situação experimentou aquele povo ao descobrirem o que o objeto maior para matar a sede de três dias de caminhada era amargo, mas mesmo na hora da adversidade, pode vir sobre nós algo que nos ensina o caminho para transformar o amargo em doce.Em meio à tamanha luta, gente com sede, gente descontente com a situação, um amargor fora da comum na boca, mas Deus não perde uma oportunidade sequer de transformar situações desfavoráveis em favoráveis. Ele propõe que é possível sair da amargura e ver as situações transformadas em algo mais aprazível, mais doce.

E Deus invoca a chave para a transformação: a obediência. Deus se utiliza daquele momento e entrega ao seu povo um estatuto que implicaria em observação em suas ordenanças. Não existe artifício mais completo e eficaz do que a obediência para a mudança de circunstâncias. O amargo vira doce. Exodo 15:25: “Então, Moisés clamou ao SENHOR, e o SENHOR lhe mostrou uma árvore; lançou-a Moisés nas águas, e as águas se tornaram doces. Deu-lhes ali estatutos e uma ordenação, e ali os provou”

Espera um pouco, não é estranho? Que Deus é este? Um povo com sede e Ele dá uma normativa para ser obedecida? Não há nada de estranho nisto não. Desde 1976, quando assumi o pastorado, venho ouvindo gente dizer: ah!eu não vim domingo porque estava mal, fiquei em casa porque estava machucado, e é então nesta hora que tem se buscar o socorro da Palavra pregada porque ela irá estimular a fé e revigorar quem está desfalecido. O salmista descreve que a Lei do Senhor, que as Suas ordenanças são doces ao paladar, tal como o mel e os estatutos, os mandamentos de Deus geram entendimento para escape do caminho errante.

Jamais me cansarei  em persistir de anunciar que os que andam nas suas veredas, ainda que experimentem longas jornadas, doenças e até mesmo o cárcere, podem descansar em Deus, porque por sua bondade Ele lhes dá proteção. Que consolo e esperança neste texto: Enviou-lhes a sua palavra, e os sarou, e os livrou do que lhes era mortal.Rendam graças ao SENHOR por sua bondade e por suas maravilhas para com os filhos dos homens!Ofereçam sacrifícios de ações de graças e proclamem com júbilo as suas obras!Os que, tomando navios, descem aos mares, os que fazem tráfico na imensidade das águas, esses vêem as obras do SENHOR e as suas maravilhas nas profundezas do abismo.Pois ele falou e fez levantar o vento tempestuoso, que elevou as ondas do mar. Subiram até aos céus, desceram até aos abismos; no meio destas angústias, desfalecia-lhes a alma.Andaram, e cambalearam como ébrios, e perderam todo tino.Então, na sua angústia, clamaram ao SENHOR, e ele os livrou das suas tribulações.Fez cessar a tormenta, e as ondas se acalmaram.Então, se alegraram com a bonança; e, assim, os levou ao desejado porto.Rendam graças ao SENHOR por sua bondade e por suas maravilhas para com os filhos dos homens!Exaltem-no também na assembléia do povo e o glorifiquem no conselho dos anciãos.” Salmos 107.20-32 .Que receita para tirar o amargor da vida e dar a ela a doçura proposta pela obediência a Palavra de Deus.

E por fim, toda amargura pode se transformar em doçura através da cruz de Cristo.  Então, Moisés clamou ao SENHOR, e o SENHOR lhe mostrou uma árvore; lançou-a Moisés nas águas, e as águas se tornaram doces. Deu-lhes ali estatutos e uma ordenação, e ali os provou. Êxodo 15.25

Aquela árvore era uma tipologia da cruz de Cristo. Não há enfermidade, não há dor, angustia ou luta que resiste ao poderio da cruz de Cristo. Os efeitos redentivos da cruz de Cristo nos garante a salvação e nos transforma em novas criaturas. A obra que Cristo fez na cruz gerou em cada um de nós uma transformação maravilhosa, e dentro desta transformação está embutido a exclusão da nossa amargura e a capacidade de nos tornarmos pessoas dotadas de doçura, pessoas alegres e acima de tudo que independente das circunstancias que experimentamos trazermos a patente da felicidade.

Qual é a amargura que você está experimentando? Dificuldade financeira? Enfermidade? Desacordo familiar? Incompreensão dos que com você se relacionam? Qual? Qual é a sua amargura? Não, não é hora de reclamar, de murmurar, é hora de obedecer, e as obediências ás normativas divinas te restaurará a doçura do seu lar, do seu casamento, do seu trabalho, enfim da onde tem experimentado a amargura.

O que transformou as águas amargas de Mara em água doce, capaz de ser bebida por aquele povo, foi a proposta de obediência às ordenanças do Senhor: e disse: Se ouvires atento a voz do SENHOR, teu Deus, e fizeres o que é reto diante dos seus olhos, e deres ouvido aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, nenhuma enfermidade virá sobre ti, das que enviei sobre os egípcios; pois eu sou o SENHOR, que te sara. Êxodo 15:26

Seja qual for o amargor da nossa vida, Deus tem poder para transformar todo o nosso amargo em doce! Ele fez isso com as águas amargas de Mara e elas ficaram doces! O Senhor é o que salva, que liberta e cura. Entregue a sua vida totalmente a Ele, obedeça as suas normas, os seus estatutos e transforme a amargura em doçura.Tome a decisão de obediência. Obedecer é decidir segundo os princípios de Deus. Obedecer é tomar decisão de buscar santidade, ser curado, transformado de amargo em doce.