21 fevereiro 2017

O PRIMEIRO DEGRAU PARA UMA VIDA CRISTÃ PLENA: S E R V I R!







Num desses dias onde a graça nos alcança ganhei um almoço em um bom restaurante da região e ali comecei a perceber como está complexa a postura serviçal do homem. Fiquei acenando diversas vezes para conseguir algo para beber, e enquanto isto a moça lavando os copos estava com os olhos pregados na televisão, posicionada acima de nós. Até que chegou um momento que tive que apelar para um assovio, destes que faz a pessoa distraída dar um pulo. Ah.perdão, estava entretida, pois não o que desejam. Sorrí e pedí: “ uma sweeps citrus com limão e gelo”.

Aquele episódio me fez lembrar do meu primeiroo emprego: auxiliar ao serviço garçons em um restaurante especializado em peixes. Tinha que estar atento e servir da melhor maneira, então comecei a confabular com os meus botões. Por qual motivo em todas as áreas de trabalho a nossa geração perdeu a visão do servir, do que é serviço? Sempre tive comigo que servir é fazer algo em prol de outra pessoa, a fim de ajudá-la, mas, nos nossos dias surgiu a era do “sirva-se a si mesmo”, ampliado por esta idéia de “self-service”.

Com toda a mudança comportamental que sofremos no decorrer de uma educação que impõe mais usufruir do que beneficiar, até mesmo na igreja a idéia de serviço está na eminência do desaparecimento. Aquele ideal que marcava a cada crente de ajudar o próximo, e o próximo não é o da irmandade, mas o próximo mesmo, acabou perdendo terreno.

E isto acaba atingindo até o maneira de avaliação do culto que acabamos de participar, porque não focamos o culto como serviço, mas se tiramos proveito dele, se nos sentimos bem, se o todo do culto nos serviu. E isto contrapõe o ensino do Cristo, pois ele mesmo disse :” Marcos 10:45 “Porque o Filho do homem também não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos.”

E os que tem chamado para serem ministros da palavra de Deus precisam formar consciência de que não foram chamados para serem administradores ou professores, antes, restauradores de almas, servindo-as. Ninguém pode estar a frente de uma obra se não tiver a consciência de que seu principal ministério é “servir”.

Lembro de uma história sobre Abraham Lincoln. Ele foi presidente dos Estados Unidos e certa feita caminhava por uma rua quando deparou com uma senhorinha que carregava às pressas e sôfrega suas malas. Lincoln se aproximou e perguntou: onde vai com tanta pressa, ela disse, senhor o vapor sai logo mais e não posso perdê-lo, Lincoln pegou a maior das malas, jogou as costas e caminhou rapidamente seguido daquela mulher. Chegaram em tempo, ao embarcar ela foi agradecer e então olhando para aquele homem a sua frente disse: “Meu Deus, eu só percebi agora, e como pôde fazer isto, o senhor é o presidente do Estados Unidos, e Lincoln respondeu: senhora se não servir para carregar a sua mala, não sirvo para ser o presidente desta nação”.

Penso que quando chegamos a ponto de que em nós o espírito de serviço se transforma em ação, acontece o transbordamento da vida cristã em favor do nosso próximo. De igual forma, o culto que participamos tem que ser o transbordamento da vida cristão em direção a Deus.

No momento em que cultuamos a Deus, somos movidos a tal, em função de que Ele é o Senhor. Se adoramos a Deus, devemos estar fascinados, porque Ele nos serviu primeiro.Que tipo de reação pode ter o homem diante de Deus a não ser submissão, simplicidade, inclinação, humildade. A nossa reação vertical diante de Deus deve ter esta postura, por que isto nos levará á pratica de expressamos amor ao próximo, porque Deus mostrou o que é servir quando nos transferiu através de Jesus, para o Reino de seu filho amado.

A obediência, a gratidão  a Deus por tão grande obra e a disposição para as suas fileiras, mostram o espírito de serviço, e este devemos expressar em atitudes de amor para o nosso próximo.

Quando nos aprofundamos no conceito de “servo”, vamos encontrar ensino no Novo Testamento que revelam duas primordiais caracterísicas:”agir em favor do próximo”  e “submissão a um senhor”. Três fortes termos indicam o servir : “diakonos”, que  se traduz por servo; “doulos” muito usado e aplicado para o povo de Deus, e literalmente significa “escravo de Deus e servo dos homens”, e ainda “litourgos” que dá a idéia de alguém que recebeu designação para uma missão especial.

Nem um dos três termos é aceito por todos, não são funções populares. Basta olharmos ao nosso derredor e prestar atenção em quem gosta de acatar respeitosamente às ordens passadas, e para definir mais ainda:”quem gosta de servir alguém”?

Um exame com mais acuidade visual nos levará a compreender que pelo padrão bíblico, “ser dado ao serviço” hoje, é uma oposição ferrenha aos padrões do mundo, porque este por sua vez, só mostra um ambiente onde as pessoas só desenvolvem interesses egoístas. Por que isto?   Porque o Senhor deste mundo é Satanás. “...porque se aproxima o príncipe deste mundo, e nada tem em mim; Jo 14:30

Os valores deste mundo não se coadunam com o espírito de serviço cristão, porque se alguém ama o mundo ama os valores do mundo, desta forma o amor do Pai não está nele. Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. 1Jo 2:15

Quem se utiliza os princípios bíblicos para servir, usa de algo que é diametralmente oposto ao padrão deste mundo, ocorre, no entanto que uma vida assim por estes princípios quer nos parecer incômoda porque acabamos conformados pelos padrões do mundo. Se alguém quer ser feliz, precisa servir. O verdadeiro espírito de serviço granjeia amigos, exerce influencia sobre as pessoas, e traz resultados que superam nossas expectativas.

“Porque eu desci do céu, não para fazer a minha própria vontade, e sim à vontade daquele que me enviou”. João 6:38 Ora estas palavras me impelem a uma narrativa maravilhosa que João fez no capítulo 13, dos versos 1 a 15, e em particular, faço mençao do ultimo verso, contendo a recomendação de Jesus que o exemplo dele deve ser seguido: "Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também."

Impressiona-me o exemplo de Jesus ao servir seus discípulos lavando os seus pés. Muitos entendem que esta atitude não é para os nossos dias, mas os católicos na chamada semana santa assim procedem, os adventistas também o fazem quando ministram a Ceia do Senhor. Hoje, em alguns movimentos e práticas de discipulado tem se restaurado a lavagem dos pés dos discípulos pelos seus discipuladores. É uma atitude linda, mas que não deveria ser apenas privilégio de quem pode pagar uma custosa taxa de um reencontro, deveria ser algo estendido a todos da igreja, afinal, implica em muito cuidar o discipular, mas surtirá mais efeito se o discipulador tiver em si o “espírito de serviço”, e este estendido a todos, não só ao circulo do poder aquisitivo dos eventos promovidos pela igreja.

Asaph Borba, um homem com uma dinâmica descomunal na área do da adoração e discipulado, e que se convertue a Cristo também como eu, em 1974, descobriu que o espírito do serviço ao próximo, pode ser praticado com pequeninas coisas. Eu descobri um vídeo de Asaph e sua esposa de um encontro de casais que retrata bem isto, e até de um jeito bem descontraído, ele conta como surgiu a canção (que marcou a minha vida em 17/nov/2001 em Brasília) que recebeu o nome “ Serviço”.
Desfrute deste vídeo e música, gravados no Encontro de Casais Julho 2009, e desperte o “espírito de serviço” que deve ser nato em todos discipulos de Cristo, desde a lavagem dos pés até um pequeno serviço prestado ao próximo. 


Nenhum comentário: