25 fevereiro 2017

TALVEZ HAJA ESPERANÇA, SE POR A BOCA NO PÓ.






Trabalhando por mais de 23 anos à frente de um centro de recuperação para toxicômanos, ouvi inúmeras vezes os alunos que ali estavam matriculados no programa residencial usar uma expressão interessante extraida de Lamentações 3:29 "Ponha a boca no pó; talvez assim haja esperança". Eles se referiam à coisas que pareciam impossíveis de reconquistar, e usavam a oração, o clamor, o render-se ajoelhado diante de Deus buscando esperança para as suas causas. Não sei como explicar, mas ví muita gente reencontrar a esperança. 

Há um certo tempo recebi uma chamada nocelular, era um pai em desespero pela prisão do filho por porte de drogas, não pouca drogas o que já justifica o angustiante pedido de socorro do pai. Passei a instruí-lo sobre os procedimentos cabíveis no caso e me dispondo a ajudá-lo primeiramente em oração e depois com orientações e apoio para tão triste caso. Houve um momento que me comovi quando aquele pai me perguntou antes de desligar: Pastor será que ainda há esperança para o meu filho? Então passei o durante dias fiquei pensando naquela pergunta, já que existe um sem número de pessoas desesperançadas.

Tem um texto biblico muito interessante que nos serve para reflexão e ver as grandes possibilidades do renascimento da esperança: ”Não aparecendo nem sol nem estrelas por muitos dias, e continuando a abater-se sobre nós grande tempestade, finalmente perdemos toda a esperança de salvamento. Visto que os homens tinham passado muito tempo sem comer, Paulo levantou-se diante deles e disse: Os senhores deviam ter aceitado o meu conselho de não partir de Creta, pois assim teriam evitado este dano e prejuízo. Mas agora recomendo-lhes que tenham coragem, pois nenhum de vocês perderá a vida; apenas o navio será destruído. Pois ontem à noite apareceu-me um anjo do Deus a quem pertenço e a quem adoro, dizendo-me: “Paulo, não tenha medo. É preciso que você compareça perante César; Deus, por sua graça, deu-lhe a vida de todos os que estão navegando com você”. Assim, tenham ânimo, senhores! Creio em Deus que acontecerá do modo como me foi dito.” At 27:20-25

Recentemente descobri que existe mais de 1 bilhão de pessoas que se atiram nas redes sociais da internet buscando freneticamente um pedido de socorro. É um grupo muito grande de pessoas que estão à caça de companhia, ou ainda, querem exprimir a sua necessidade de encontrar alguém que possa compartilhar seus reclamos.

Estes navegadores utilizam a net como se fosse um grande consultório global, onde podem exprimir as suas crises existenciais e confessarem que estão desesperançadas.
 
A maioria não acredita mais em oportunidade de uma mudança de vida porque estão tão traumatizados pelas dores e vicissitudes experimentadas no caminhar da vida. Não há para estas mentes de gente tão esquizofrenizada pelos vícios, e aqui não são só as drogas, o álcool e o cigarro, mas o vício da televisão, da pornografia, e ainda a escravidão da maquinação diuturna de maus pensamentos.

Há muito movimento religioso e também de auto ajuda tentando dar um norte para estas pessoas, mas a maioria sente uma alma esvaziada de coisas boas, com tendências suicidas e acreditam mesmo que nunca experimentarão a vitória em qualquer atividade que se propuserem a fazer.

Isto fala de uma acentuada desesperança que se abate sobre tanta gente. Estes são semelhantes com os envolvidos no naufrágio de Paulo porque perderam a esperança, e o versículo 27, pinta com grandes letras o diagnóstico desesperador de cada um daquele navio: At 27:20: “Dissipou-se toda a esperança de salvamento”. Dissipou, acabou, frustrou, malogrou se toda a esperança.

As estatísticas dizem que há mais de 1 bilhão e meio de pessoas que se utilizam dos serviços de internet em todo mundo, no entanto, mais de 1 milhão de pessoas revelam a sua falta de esperança. É como o diagnóstico hoje do rebanho “cristão” em geral, mais da metade que tem uma vida religiosa, que freqüentam cultos não tem mais esperança. Não crêem mais nos sonhos e hoje não tem nem a coragem de contar para alguém ou assumir a posição de que perdeu sua esperança.

Mas eu tenho boas novas, Jesus pode e fará para aqueles que querem a restauração da esperança, Ele ressuscitará os sonhos.

A SENSAÇÃO QUE AS PESSOAS TÊM É QUE NÃO EXISTE MAIS ESPERANÇA PARA ENCONTRAR A LIBERTAÇÃO.

Tomando o exemplo do naufrágio de Paulo, que tipo de gente seguia naquele navio? Presos, inclusive Paulo, como está nos vss.1 e 2 do mesmo capítulo.
“Quando ficou decidido que navegaríamos para a Itália, Paulo e alguns outros presos foram entregues a um centurião chamado Júlio, que pertencia ao Regimento Imperial. Embarcamos num navio de Adramítio, que estava de partida para alguns lugares da província da Ásia, e saímos ao mar, estando conosco Aristarco, um macedônio de Tessalônica”.

Interessante, Paulo não está indo de primeira classe, está sendo conduzido à Roma como preso. De repente, o navio se destroça e de imediato a intenção dos soldados era que todos presos fossem mortos, para que nenhum deles pudesse empreender fuga nadando. At 27.42 Os soldados resolveram matar os presos para impedir que algum deles fugisse, jogando-se ao mar.

Que situação, o navio vai a pique, e a chance de fugir seria coibida pelas espadas dos soldados, isto significava que nem mesmo o naufrágio criava a possibilidade de serem livres, aí perdeu se toda a esperança completamente.
 
Atualmente há uma multidão incontável que já não tem mais esperança, aliás, vivem sem esperança, sem um sonho, sem um projeto de vida, são reféns da prisão chamada drogas, estão ainda acorrentados na escravidão do pecado, não conseguem tirar nem dos lábios a enfermidade, antes só confessam destruição, à primeira dor de estomago já imaginam como dizem eles, ái é úlcera, câncer, ai eu estou com as dez pragas do Egito. Gente que não acredita mais na esperança.

E nós que temos a esperança viva em nós, o que temos feito, chegamos à igreja e dizemos: tem pouca gente hem? Mas o que temos feito para mudar o quadro. Quanto tempo semanal tem tirado para levar a esperança aos desesperançados? Andamos com um folheto de evangelização na mão? Oramos quanto pelos perdidos? A nossa atitude de crente está gerando expectativa no incrédulo de conhecer a esperança? Qual foi a ultima vez que falamos de Jesus para alguém? A falta de ocupação nossa com o que é secular tem tirado a oportunidade de algum desesperançado retomar a esperança em Jesus.

OS FATOS ACONTECIDOS ACABAM POR GERAR UMA FALTA DE ESPERANÇA NO LIVRAMENTO.

O vs 37 diz que havia naquele navio 276 pessoas. Estavam a bordo duzentas e setenta e seis pessoas. Já assistiu a cena de alguém no meio de uma tempestade, o desespero é grande, imagine 276 pessoas que experimentaram a fúria do Euro-Aquilão, um tufão de grande proporção que se abateu sobre o navio e isto gerou naquelas vidas a perda da esperança. Pelas circunstâncias não tinha como eles verem uma saída para escaparem com vida. O parecer geral era que nunca se livrariam daquele drama.

Estavam tão sobressaltados com o ocorrido, com a ansiedade que segundo Atos 27:33-36 a falta de esperança de um livramento, isto é de sair com vida daquela situação, que por 14 dias nem comer queriam aqueles homens. Pouco antes do amanhecer, Paulo insistia que todos se alimentassem, dizendo: Hoje faz catorze dias que vocês têm estado em vigília constante, sem nada comer. Agora eu os aconselho a comerem algo, pois só assim poderão sobreviver. Nenhum de vocês perderá um fio de cabelo sequer. Todos se reanimaram e também comeram algo.

E então Paulo cheio do Espírito Santo tomou pão e deu graças a Deus diante de todos e começou a comer. Um ato  restaurador dos animos para crerem que o livramento estava chegando. E atitude dele foi simples, partiu um pão e Deus graças na presença de todos.

Quantas vezes perdemos oportunidade de quando estamos com colegas da escola, da faculdade e do trabalho e nos assentamos a comer e esquecemos-nos de dar graças pelo que temos a mão para comer. Isto revela falta de fé, falta de testemunho, e a pessoas só recobram a esperança quando vêem alguém do grupo externar a fé e confiança no Senhor. Quando assim agimos exteriorizamos a certeza do livramento, pois Deus é quem cuida de nós.

PIOR QUE NÃO TER ESPERANÇA DE LIBERTAÇÃO, PIOR DO QUE PERDER A ESPERANÇA DO LIVRAMENTO E SER SALVOS COM VIDA É PERDER A ESPERANÇA DA SALVAÇÃO.

Então praticamente tudo estava perdido, mas dentre aqueles homens havia um temente a Deus, e quando ninguém mais cria, porque diz o texto no VS. 20 que a esperança se dissipara. Para aqueles náufragos não havia outra confissão. Já era. Mas Paulo temente a Deus e conhecedor do que Jesus é capaz de fazer traz uma declaração que abre a porta para que a esperança volte àqueles varões.

Em Atos 27:23 e 24 está a declaração: Pois ontem à noite apareceu-me um anjo do Deus a quem pertenço e a quem adoro, dizendo-me: Pois ontem à noite apareceu-me um anjo do Deus a quem pertenço e a quem adoro, dizendo-me:Paulo, não tenha medo. É preciso que você compareça perante César; Deus, por sua graça, deu-lhe a vida de todos os que estão navegando com você. 
 
Uma pergunta se faz necessário: QUEM É O SEU DEUS? QUAL É O DEUS A QUEM VOCE SERVE?

Não é difícil dizer que serve a Jesus e que é propriedade dele, mas o que realmente tem feito por Jesus, pela sua causa? Porque a sua vida não é entregue totalmente a Jesus? Parece que Jesus esta inscrito no programa “Sua alma, minha vida” e está pulando miúdo para conseguir todos os requisitos para possuí-la. Por quê? Porque loteamos o nosso coração. Um quarto para isto, outro pedaço para aquilo e Jesus passa habitar em comodinho do fundo, no meio de tanta bagunça. No meio de tanta porcaria que injetamos pelas principais portas de entrada do nosso corpo, mais acentuadamente os olhos e ouvidos.

Creio que você não experimentou um naufrágio, mas com certezas já teve dias obscuros onde parecia mesmo que o sol não havia brilhado. De igual forma noites infindáveis de intensas trevas atravessamos sem experimentar nem sequer o brilho de uma estrela só. Quantas também não foram as tempestades que nos sobreveio, entretanto nós temos tido a felicidade de termos a esperança fundamentada, e se para você parece não haver mais esperança, nós queremos orar por você para que Cristo seja sua eterna esperança. Envie um email para vanelli.ap@gmail.com e estarei orando pela restauração da sua esperança e seus sonhos.

Nenhum comentário:

RESTAURANDO A PORTA VELHA