03 junho 2017

PRINCÍPIOS QUEBRADOS, UNÇÃO DESPERDIÇADA.






Já me acostumei a  receber de diversos leitores deste blog, emails falando que escrevo muito sobre vida de princípios, viver os princípios de Deus e até mesmo teve alguns me perguntaram sobre o que são estes princípios que tanto falo no blog. Princípios são ensinamentos básicos, verdades práticas que estão na Palavra de Deus e que devem ser aplicados em todas as áreas da nossa vida: familiar, escolar, espiritual, etc. Esses princípios visam treinar a nossa mente para que possamos discernir o bem do mal. Numa postagem futura vou trabalhar com os 7 princípios básicos da Palavra de Deus, mas lendo neste final de semana Efésios 6:11-17, veja o que descobri:


Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, cont ra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça; E calçados os pés na preparação do evangelho da paz; Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus;” o Espírito me chamou atenção para algo maravilhoso.

Qualquer pessoa mais desavisada ao ler este texto sem uma melhor precaução já pensa imediatamente pelos ventos modernos de doutrinas, que se trata de batalha espiritual. A realidade não é bem assim, ainda que Paulo discorra sobre a importância da “armadura espiritual dos cristãos”, é um texto rico em princípios, repito, que estão na Palavra de Deus e que devem ser aplicados em todas as áreas da nossa vida: familiar, escolar, espiritual. 

Está muito claro os princípios básicos no texto: “Viver a verdade da Palavra”, ”Viver a justiça conquistada por Cristo”, “Pregar o evangelho”, “A fé agrada a Deus,” “Viver como salvo não como ímpio” e  “Conhecer a palavra de Deus” . Estes seis princípios básicos, que podem ser chamados de regras, normativas, preceitos, ou como queiram chamar, praticamente formam o pivô de uma vida cristã bem sucedida.

Deus na sua bondade visando estimular o homem a bem viver determinou o Decálogo instituindo a Lei, 10 mandamentos, mas para o seu povo ( os judeus) houve uma expansão dos princípios para 613, que estão na Torá e tem o nome em hebraico de  mitzvot. Então o povo de Deus tinha que seguir todas estas normativas, aos doze anos de idade um judeu já conhecia todo este compêndio de princípios. Jesus, resumiu os dez mandamentos em dois e acabamos praticando um só e olha lá ainda. Daí a importância da cultura paulina, que suas cartas nos estimulam a sermos o que a Bíblia diz que somos, a termos o que a Bíblia diz que temos e a podermos tudo o que Bíblia diz podemos. Então não é difícil ser cristão, basta apenas atentarmos para os princípios. Hoje se praticássemos apenas os seis listados em Efésios, já teríamos tudo na vida .

Agora o que acontece quando quebramos princípios? Perdemos a unção. Na Bíblia tudo tem valor e sentido. Vamos trabalhar hoje com um super-herói, um jovem separado por Deus, com uma história linda, mas que não vigiou os princípios do Eterno e desperdiçou a unção divina: Sansão. Um dos textos mais lindos do Velho Testamento narra parte da vida deste herói, mas tudo sobre ele está escrito no livro de Juízes 13 a 16. Ficamos hoje com o capítulo 16:19 ao 22 onde está o objetivo da nossa argumentação, mas recomendo a leitura até o verso 31.

“Então ela o fez dormir sobre os seus joelhos, e chamou a um homem e rapou-lhe as sete tranças do cabelo da sua cabeça; e começou a afligi-lo, e retirou-se de a sua força. E disse ela: Os filisteus vêm sobre ti, Sansão. E despertou ele do seu sono e disse: Sairei ainda esta vez como dantes, e me sacudirei. Porque ele não sabia que já o Senhor se tinha retirado dele. Então os filisteus pegaram nele, e arrancaram-lhe os olhos, e fizeram-no descer a Gaza, e amarraram-no com duas cadeias de bronze, e girava ele um moinho no cárcere. E o cabelo da sua cabeça começou a crescer, como quando foi raspado”.

Com uma vida pronta para ser uma história de modelo e padrão dos campeões de Deus, Sansão entra por um caminho de desperdício de oportunidades, do abandono dos planos e propósito de Deus, o que não poderia desembocar senão num terrível tragédia, num final infeliz, tudo porque houve quebra dos princípios.

Um cristão que quebra princípios a exemplo de Sansão, a primeira coisa que desperdiça é o seu chamado. Todo crente tem um chamado, mas não poderá levá-lo avante senão se ater aos princípios de Deus. O chamado de Sansão era lindo, diferente de todos os outros juízes de Israel ele fora chamado desde o ventre da sua mãe. Fecundado por um milagre de Deus pois seus pais eram estéreis, Sansão tinha todas as qualidades  para ser uma pessoa feliz e de grande sucesso, mas assim não foi, porque desperdiçou o chamado e não valorizou as bênçãos de Deus.

Dói e muito, pelo menos para mim ver uma pessoa que tem um chamado tão específico, tão direcionado, trocando, barganhando o dom por quinquilharias, por meia dúzia de beijinhos de uma hetéia, jebuzéia, filistéia, mocréia, ou heteu, jebuzeu, filisteu e todos os eus  juntos. Não vale a pena. No meu computador e celular e tenho uma foto de uma vida assim e todo dia oro por ela, que até hoje chora por ter trocado o seu chamado por uma caixinha de surpresa.

Algo vem ao meu coração hoje pela manhã que me move a chorar diante de Deus, porque Ele é muito bom, sempre bom, e independente das nossas escolhas pessoais, das nossas trocas absurdas, vejo que Deus coloca diante de cada de um nós, um chamado para uma vida abundante e muito feliz. 
 
Você e eu fazemos parte de uma igreja épica, vitoriosa, de um povo que tem um chamado maravilhoso e é por isto que em Ap 3.20, Jesus batendo à porta do nosso coração, dos que integram a sua igreja, Ele quer renovar o nosso chamado e começar a reescrever uma nova história de vida.  Qual é a nossa resposta a este tão especial chamado? Nos entreguemos totalmente a Ele para que nos transformem em instrumentos aqui nesta terra.

Sansão joga fora o chamado, mas não fica só nisto, também desperdiça a sua unção. Ele, entre os juízes de Israel foi o que mais experimentou o poder do Espírito Santo de Deus, que vinha sobre ele. Juízes 14:6 ...Então o Espírito do Senhor se apossou dele tão poderosamente..., desta forma também foi em 13:23-15, 15:14-15...Deus não poupava derramar a unção sobre Sansão, mas ele não soube aproveitar tanta unção. 
 
Unção é algo que desgasta quando nos distanciamos da prática dos princípios. Vejo gente que começou a vida cristã com tantas experiências lindas, com uma unção dada por Jesus fora do comum, mas não soube medir esforços para mantê-la e então abandona o local onde foi plantado e vai para outros arraiais, porque lá o “cafuné pastoral” é uma delicia, então neste pula, troca, muda de igreja, acaba por desperdiçar a unção que Deus lhe deu originalmente, e o próximo passo é a retomada do mundo.

Um dos escritos que mais me impressiona no Novo Testamento é Hebreus capitulo 6:4-8 quando o autor movido pelo Espírito Santo exorta a cada um que se envolve com a fé que trilhe um caminho de progresso, para que atente aos grandes perigos espirituais da “recaída”: “porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se tornaram participantes do Espírito Santo. E provaram a boa palavra de Deus, e as virtudes do século futuro. E recaíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a ele, de novo crucificaram o Filho de Deus, e o expõem ao vitupério. Porque a terra que embebe a chuva, que muitas vezes cai sobre ela, e produz erva proveitosa para aqueles por quem é lavrada, recebe a  benção de Deus.Mas a que produz espinhos e abrolhos, é reprovada, e perto está da maldição; o seu fim é ser queimada.”

Que hoje diante desta postagem, seja uma dia de verdadeiro arrependimento e clamor para que o Senhor não poupe derramar da Sua unção e que nela permaneçamos para cumprir o Seu chamado.

Finalmente irmãos, lembro-me quando estava pregando, era o amém mais sonoro e gostoso que ouvia durante todo o sermão, repito, finalmente, Sansão depois de desperdiçar o chamado, a unção do Espírito, no fim do seu tempo, desperdiça também a sua vida. Uma vida promissora, havia uma esperança em cada um que Sansão era o modelo do sucesso de Israel como rei, guerreiro e libertador do povo de Deus, mas o caráter de Sansão por não dar valor aos princípios de Deus, coisas pequenas, por exemplo, mesclar-se com quem que não tinha o Senhor por Deus, foi deformado, sendo seduzido por aquilo que não era de Deus, então estragou tudo e teve um final infeliz.

Separado por Deus como nazireu deveria viver em santidade, mas não observou a aliança com Deus, envolvendo se com erros que o afastaram do cumprimento dos princípios divinos, então foi precoce o seu fim. Em via de regras conhecemos alguém assim, mas é melhor que olhemos para nós mesmos.

O que temos esperado da nossa vida? O que temos feito com o nosso chamado? A unção derramada por Deus sobre nós tem se mantida? E a nossa vida? Ela é motivo de alegria para Deus? Estejamos atentos hoje para que não quebremos os princípios de Deus e não façamos do chamado, da unção e da vida um desperdício. 

Um comentário:

Eliseu Antonio Gomes disse...

Prezado pastor.

A cada dia que passa, passo a creditar mais que nós estamos vivendo os tempos trabalhosos, conforme Paulo escreveu para Timóteo.

Esta geração em que estamos, principalmente aos que agora estão nas faixas-etárias dos 15 aos 30, se não têm Jesus no coração, vão de mal à pior.

Eliseu, do blog Belverede.

RESTAURANDO A PORTA VELHA