01 junho 2017

UMA CASA SIMPLES, UMA PAZ ENVOLVENTE









Não há para o blogueiro coisa mais especial do que a inspiração para postagem uma boa matéria, fruto de uma boa inspiração, quer seja pela próprio impulso do Espirito Santo ou ainda um assunto cotidiando. As vezes em decorrência de circunstâncias que se nos abate, desanimamos temporariamente, mas depois um pequeno gesto, uma atitude simples de alguém nos leva à retomada, como por exemplo, nesses dias em visita a uma família simples, casa humilde, o Senhor ministrou profundamente ao meu coração.

Coincidentemente este é o mês que o assunto em tela, pelo menos na programação era, o da reserva num hotel 5 estrelas, com um tratamento vip, descanso, ministrações que geram refrigério e tudo muito agradável aos olhos, estômago e todo o corpo, promovido pelo Ministério de Casais, e em cima disso lembrei me dos grandes hotéis que já me hospedei, por exemplo, o Tequendama  em Bogotá, na Colômbia.

Sem dúvidas um tratamento fora do comum. Por exemplo, minha suíte tinha escritório, sala de tv e tudo mais, e ainda era vizinha da suite do Pastor Benny Him que também estava ali hospedado, então meu andar tinha segurança de primeiro mundo. Mas e daí? O que aproveitei dali, exceto o conforto, a comida internacional e tantas mordomias oferecidas pelo hotel? Estava ali para uma grande convenção internacional de lideres evangélicos de mais de 50 nações.

Com certeza foi um tempo proveitoso, uma semana, além da convenção de alto nível e o desfrutar do melhor serviço de hotelaria já experimentado, mas isto não queria dizer que estava à vontade, tranquilo e descansado. Havia um clima no ar, uma sensação de que algo faltava, talvez mesmo resultado de um tempo fora do país e distante da família, igreja e afazeres locais.

De certa forma desfrutei muito bem dessa viagem e hospedagem, mas voltando à visita que fiz aquela casinha simples, humilde, sofá duro, poucos recursos de conforto corpóreo, descobri ali uma paz de espirito fora do comum. E aí então começou a desabrochar muitas perguntas numa mente que processa a mil conjecturas que borbulhavam repetidamente. Por exemplo, porque entremeio a tanto conforto das majestosas suítes, salas de tevê, escritório anexo, sala de visita e tanto conforto não encontrei, não se senti e nem me apercebi da doce paz daquela casinha simplória?

E ao ler a Bíblia na primeira hora do dia dessa 5a.feira, o Senhor ministrou ao meu coração uma palavra tremenda de Provérbios 14:11 que diz "A casa dos perversos será destruída, mas a tenda dos retos florescerá ". 

Num primeiro momento veio uma indagação à minha mente, o que será que vem a ser essa palavra "florescerá"? Partindo do principio que o verbo deriva da raiz florescer, pude viajar com a real acepção da palavra, que é ganhará vida, surgirá, nascerá. E se embrenhar-me pelos vasto caminho da nossa rica linguagem chegarei em sinônimos como: desabrochará, desenvolverá, vicejará, resplandecerá, florejará, etc. 

A casa do reto, ainda que simples é assim, mesmo em meio as vicissitudes que a vida impõe, há espaço para o florescimento de um ambiente onde a paz é a chave da vida do lar.

Não, por favor, não estou dizendo que não existam divergências, que não há opiniões contrárias, aliás, onde vivem duas pessoas debaixo de um mesmo teto, haverá gostos desiguais, idéias e pensamentos diferentes, mas isto não tira a paz estabelecida pela promessa do florescimento na casado reto. 

Florescimento fala de beleza, de cores vivas, de alegria e por certo traduz que o ingrediente mais importante no âmbito familiar, que é a paz.

Certa vez um talentoso artista prestes a pintar uma tela preocupava se com o que pintaria, então deixou se impulsionar pelas sugestões de terceiros, e logo perguntou a um velho pastor qual seria coisa mais bela do mundo  e este respondeu: a fé. Não se achando por satisfeito em pintar algo sobre, resolveu fazer a mesma pergunta a uma noiva que adentrava a uma igreja e ouviu ela dizer: é o amor. Ainda sem definição para sua pintura perguntou de igual forma a um veterano de guerra qual a coisa mais bela do mundo, e aquele velho guerreiro respondeu enfaticamente: é a paz. O artista pintou o quadro.

Assim é a casa de quem anda em retidão, tem fé, há relacionamento amorável, mas o que propulsiona a alegria e felicidade aos que nela habitam ou a visitam é a paz. A casa que visitei me propiciou tanto na entrada como na saída o gozo de experimentar a paz que lá habita, que não pensarei duas vezes para lá voltar. Experimente ao completar esta leitura, ver um sugestivo vídeo com Marcos Witt, Paz, quão doce paz.

Nenhum comentário:

RESTAURANDO A PORTA VELHA